segunda-feira, setembro 12

Porvir

amanheceu
e o silêncio constratava com o cheiro do café
o cigarro
a idéia esmera
o seja o que Deus quiser
uns trocados furados
bilhetes antigos
versos num bolso jeans
o passado lavrado
e rememorado
vou rumo ao futuro
ao porvir

3 comentários:

Aline Soares disse...

Gostei muito desse. E do estilo. Vou ler os outros. Abraços poéticos.

Aline Soares disse...

Gostei muito desse. E do estilo. Vou ler os outros. Abraços poéticos.

Clóvis Struchel disse...

Obrigado pela leitura. Seja sempre bem-vinda neste espaço tão meu, tão único