sábado, janeiro 20

reflexões em dó maior

( ... )
Mas antes de sair por esta porta, como quem vai em busca dos sonhos perdidos ou do paraíso encantado dos romances ingleses, me olhe nos olhos por alguns instantes, perceba o meu corpo ainda em total desalinho causado pela sua falta, me olhe com comoção devida, não banalize um apaixonado, mescle uma frieza e um calor necessários para tal olhar, há de se ter um certo equilíbrio, até porque olhares falam, e tudo o que você precisa é ficar em silêncio neste instante. Tenha bom-senso, ao menos por essa vez.Deixe-me te olhar atentamente por um tempo, perceber o que há em você de tão arrebatador que me fez querer viver a sua vida, me fez querer esquecer os meus passos e trilhar os caminhos que eram só seus.Sonhar os seus sonhos, doer em suas dores.Não precisa dizer nada, volto a dizer. Verdadeiramente não faço questão alguma de escutar qualquer pensamento seu.Deixe que este silêncio, este crucial silêncio, que pairou sob todo o tempo em que estivemos juntos, se instale neste momento.É um momento importante, o tão esperado momento, o momento da vã despedida, você sonhou com isso, tenho certeza.Deve ter ensaiado diálogos em frente ao espelho, testado esta ou aquela fisionomia, você gosta dessas coisas, sempre gostou.E não vamos terminar com berros, não vamos terminar com taças lançadas contra a parede, com culpas, com ódios vãos.Não, morre-se o amor mas fica-se a elegância, que neste momento não serve pra porra nenhuma, mas foda-se, optei por ser elegante nesta tortuosa despedida, não tentarei te impedir, não farei cena, me comportarei feito um Lord.Eu só posso terminar este emaranhado de sensações tempestuosas com este silêncio que se instalou no momento crucial, o da triste, solitária e apática despedida.Um silêncio sufocante, assustador, delirante.Um silêncio tão terrivelmente louco, que me pôs em choque, anestesiado, e você me olhando sem saber se devia olhar pra mim, ou pros lados, ou fechar os olhos; até neste momento você foi um babaca, juro...tive vontade de rir da sua cara.Eu não poderia esperar nada de um amor tão difuso, ambíguo, imaturo e canalha.Seu sorriso agora só me traz tristeza.Tuas palavras doces amargaram o meu dia.Termino esta história com o mesmo silêncio que pairou sob a despedida, e antes ainda, sob todo o tempo em que ficamos juntos.Tempo de silêncios, de palavras vazias, de discursos frígidos.Paira por aqui este infindável silêncio, silêncio esse, que deve ter sido o discurso mais romântico, e verdadeiro, que você me ofereceu.

12 comentários:

mary disse...

Este silêncio tão intenso e sufocador que chega a ser palpável... Consegui sentir todo o delírio dessa despedida silenciosa...

E tuas palavras, Clóvis, sempre tão intensas... Vejo você totalmente entregue às palavras, aos sentimentos, à brisa que arrepia resultando numa ventania de sensações... sempre lindo! :)

E eu te adoro, e sou tua fã e fui a primeira a comentar! eeeeeeeeeeee

Beijos Beijos Beijos! (L)

bruna maria disse...

Achei interessante a gradação desse texto. Parece que começa explicitamente romântico e, no seu desenrolar, vai tomando um rumo mais seco, ofensivo, sem muitas voltas.

Obrigada pela visita! :)

Beijos!

Ariane disse...

amigo, por acaso você é um invasor de almas?

você falou do meu momento tão bem , que poderiam ter sido minhas suas palavras...

Eu, uma tola que ama, se entrega,sofre en profundidade e no final prefere continuar amando...

apesar da dor que é terminar amando, penso ser um ato de coragem e dignidade.

gostei de te ler e te compartilhar as dores de amores...

beijos e volte sempre á minha casa
aqui ficarei à vontade de "comer com as mãos" ;)

Lubi disse...

Li entre lágrimas tão emocionadas que teimaram em permanecer nos meus olhos, intenções só.
Porque esse é meu presente. Depois de tantos gritos desesperados, de tantos pedidos para permanecer porque o amor que eu sentia era grande demais ainda e alimentaria os dois.
(...)

Beijo.

PELADUZ disse...

Oi cara,

te encontrei no blog da Bell, Faces. Muito bom teu comment. Teu blog tb.

Cristiano Contreiras disse...

Totalmente são expostas as sensações da intimidade, fala mais alto e demonstra provocação.
abs

diovvani disse...

Silêncio, é a prece da alma.
MontanhosoAbraçoDasMinas.

Joyeux disse...

é... é universal.
é agora um tanto universal o que antes era individualide, gritos, sangue, bílis, porra e batom.


Gostei da novidade universal, mas para ser sincera, prefiri a tal "coisa grande"!

Lu disse...

Quanto amadurecimento,meu irmão.....é visível e encantador saber q estas diferente!Antes era um menino,com medos e curiosidades a cerca da vida,agora és um homem,com vontades,coragem e sempre lindo!
ta cada vez melhor!
te amo!

Juliana Pestana disse...

Isso realmente é um desabafo... isso realmente deve ter doído, ou ainda dói.
Adorei a carinha do blog e vou acompanhando o crescimento dessa nova criança! ;-)

Bjinhos meus.

Anônimo disse...

Finalmente voltei desculpe a demora pra responder seu coments, vou atualizar uns links e colocar o seu ok?

www.shejulis.blogspot.com

fabio jardim disse...

bonito hein! bonito mesmo!